Sede

Rua direita nº80

2140-665 Carregueira

Portugal

 

Ligue

T: 249 740 244

Tm: 910 780 430

 

 

  • facebook
  • w-googleplus
  • Blogger Clean
  • YouTube Clean

Desenvolvido por Junta de Freguesia de Carregueira

História e lendas

Há em todos nós algo inédito, algo diferenciador, mas no fundo todos descendemos de alguém e também isso nos define. São essas as nossas raízes.

A Carregueira é uma Freguesia relativamente recente.

 

O seu desenvolvimento económico e social levou a que a Carregueira e o Arripiado se desanexassem da Freguesia do Pinheiro Grande em 4 de Outubro de 1985. Sendo um local onde predomina a pequena propriedade com terrenos férteis e água abundante, tornou-se, no início do século passado, um ponto de fixação para muitas famílias, essencialmente das zonas de Abrantes, Fátima, Ourém e Sardoal.

  

Mas o maior passo no desenvolvimento desta Freguesia deu-se a partir de 1985. Desde então, a Freguesia de Carregueira tem vindo a melhorar as suas infra-estruturas, com o asfaltamento de estradas, a construção da rede de abastecimento público de água, a criação de extensões de saúde na Carregueira e Arripiado, a abertura de um Centro de Apoio Social, entre outras. Trata-se, como já referimos, de uma povoação de grandes recursos estando em curso um projecto de revitalização urbana.

 

 

  

O Arripiado é uma pequena povoação, com cerca de quatrocentos habitantes, situada na margem esquerda do Tejo.

 

  

Após um período mais difícil em que o êxodo de jovens chegou a pôr em causa a regeneração desta aldeia, o Arripiado, graças a um plano de revitalização posto em prática a partir de 1994, tem vindo a inverter o rumo dos acontecimentos.A grande Festa do Rio e das Aldeias, que se realiza em Agosto, e que envolve o Arripiado e Tancos, também tem tido um papel muito importante na divulgação da aldeia.Hoje em dia, a aldeia é um local privilegiado para quem procura um ambiente calmo, limpo e harmonioso para passar o tempo, e com diversas ofertas de lazer.

 

 

 

  

Lenda da Carregueira


Uma das versões da origem do nome remonta ao tempo dos Romanos e é a mais contada por todos e com mais probabilidades de ser realidade. Antigamente, no tempo dos Romanos, foi construída uma estrada com início no Castelo de Almourol que passava na ponte das Ferrarias (é a ponte que passa por cima da ribeira do Arripiado) e no alto da Carregueira, seguindo outros rumos. Por essa estrada faziam-se diversos transportes, principalmente os produtos das olarias existentes junto à ponte das Ferrarias. Pensa-se que, ao lugar onde existe a Carregueira, os Romanos viriam "carregar" algo, talvez palha ou frutas. Com o decorrer dos tempos as pessoas abreviaram o "vou carregar ao lugar ... ", passando a dizer ''vou à CARREGUEIRA".


 


Lenda do Arripiado
Conta a lenda que durante as invasões Mouras, nesta zona, habitava o Castelo de Almourol um casal de Mouros que tinham uma linda filha, de seu nome Ari. Um dia vieram passear a esta localidade ribeirinha. Encontraram um robusto e bonito rapaz, que ao olhar a formosa Ari, logo dela se enamorou e sendo por ela correspondido. Este amor era cada vez mais intenso e eles queriam estar juntos, mas os pais de Ari não queriam este namoro e proibiram-na de sair do Castelo e para impedir uma possível fuga de Ari, "piaram-na" (prender uma corda à perna e a um outro objecto). E desta pobre Ari piada veio a surgir o nome Aripiada, que com o decorrer dos tempos resultou em ARRIPIADO.